Como reduzir o endividamento empresarial
Gestão Financeira

Como reduzir o endividamento empresarial

Endividamento Empresarial
Escrito por BCN Treinamentos

Não importa o seu ramo ou o porte do negócio, o endividamento empresarial pode acontecer em organizações de todos os tamanhos, das grandes empresas até às micro e pequenas, de todos os setores.

Por isso, todo cuidado é pouco. É importante entender que uma empresa ter dívidas é algo normal, porém em excesso pode comprometer a credibilidade da empresa, já que geralmente traz a inadimplência. E quando isso acontece, é necessária uma intervenção urgente e a utilização de medidas radicais. 

Mas para que não seja preciso passar por isso, vale a pena se precaver e procurar meios de reduzir esse endividamento empresarial, adotando algumas medidas que vamos te mostrar neste artigo. Confira!

O que significa endividamento empresarial 

Como foi dito anteriormente é normal as empresas terem algum tipo de dívida, se você olhar os balanços das empresas listadas na bolsa com certeza todas tem um grau de endividamento. O problema do endividamento empresarial é quando uma empresa se sustenta por meio de empréstimos e isso, a longo ou médio prazo, pode comprometer o seu capital de giro. 

Ou seja, o orçamento reservado para cumprir as obrigações com seus credores reduz seus lucros e interfere na capacidade de manter um bom inadimplência, podendo até mesmo comprometer a atividade produtiva da empresa. 

No mais, com o endividamento empresarial vem também a inadimplência e o “nome sujo”, que traz dificuldades em negociar preços, prazos de pagamentos, parcerias e até mesmo a impossibilidade de fechar alguns contratos

Enfrentar as causas do endividamento é fundamental se você não quer que as dívidas voltem no futuro. Falta de planejamento financeiro, gestão ineficiente de estoque e vários outros problemas podem levar uma empresa a perder dinheiro sem perceber, o que também contribui para as dívidas.

A boa notícia é que nem sempre o endividamento empresarial é ruim. Se bem planejado o uso do capital de terceiros pode gerar valor ao negócio aumentando o Valuation da empresa, como por exemplo,  através da compra de novos equipamentos.

Porque as empresas se endividam

Ter a empresa dependente de empréstimos para sobreviver não é uma boa ideia e a causa disso é a falta de conhecimento dos números financeiros da empresa, bem como de falhas na gestão. 

Assim, de forma mais detalhada, podemos dizer que as causas do endividamento empresarial são: 

  • Falta de conhecimento dos custos dos produtos/serviços;
  • Precificação inadequada;
  • Má gestão do estoque;
  • Falta de planejamento financeiro adequado;
  • Má gestão da empresa.

Aqui, vale destacar que a dívida bem planejada e feita com o objetivo de investir, é algo vantajoso. Ela serve para aprimorar recursos e investir em tecnologia, que por fim acaba reduzindo custos e fazendo bem ao caixa da empresa. 

Veja Também: 5 problemas financeiros que muitas empresas enfrentam

Dicas para reduzir o endividamento empresarial

1. Identifique as causas do endividamento

Procure descobrir o que exatamente causou as dívidas. É muito comum que elas sejam provocadas não por uma ação equivocada, mas sim por uma sequência de más decisões e problemas internos. 

Assim, faça uma auditoria completa em todas as áreas da empresa, analisando o histórico de meses anteriores à dívida para descobrir onde estão os erros.

2. Elabore um plano de contenção de gastos 

Uma ótima forma de reduzir o endividamento empresarial é através do corte de alguns custos e despesas. Economizar é uma forma simples de conseguir mais verba para pagar a dívida sem comprometer tanto o orçamento da empresa.

E não precisa ser tão radical, eliminando postos de trabalho ou deixando de investir. Pequenas mudanças como aumentar o controle de estoque, por exemplo, pode trazer uma significativa economia ao reduzir a perda de produtos. Economizar no consumo de material de escritório, luz e telefonia, pode também fazer uma grande diferença. 

Estabeleça suas metas, coloque no papel e compartilhe com seus colaboradores, assim todos podem contribuir fazendo a sua parte para a redução de custos.

3. Cobre os clientes atrasados

A inadimplência é um sério problema para muitas empresas e diminuí-la é sempre uma boa ideia. Porém, é preciso entender que os clientes inadimplentes não devem ser vistos como inimigos. Afinal, a inadimplência pode ocorrer por diversos motivos, e o seu objetivo deve ser receber os pagamentos, mesmo que com atrasos. 

Assim, a dica é organizar uma força tarefa e começar a cobrar os clientes inadimplentes. Porém, o cobrador não pode ser abusivo ou atingir a dignidade dos clientes. Isso fere os direitos do consumidor (art. 42 do Código de Defesa do Consumidor) e reduz as chances de chegar a um acordo. Por isso, é preciso estar disposto a ouvir o devedor e facilitar a negociação dos pagamentos. 

Veja Também: Análise de crédito: tudo que você precisa saber para não errar

4. Negocie o pagamento das dívidas

As dívidas podem aumentar de forma rápida por causa dos juros. E pode acontecer ainda de você, por inexperiência, pegar um empréstimo com juros maiores para pagar dívidas antigas, aumentando ainda mais o valor devido, ao invés de reduzi-lo.

E para se livrar das dívidas, o primeiro passo é renegociar o pagamento das mesmas. Procure seus credores e tente o parcelamento das dívidas, prazos de pagamento maiores e redução dos juros. 

Só tome cuidado com o novo valor das parcelas, analise muito bem antes de assinar qualquer acordo. Pois do contrário, você pode continuar na mesma situação, ou até mesmo piorar o que já estava ruim.

5. Evite atrasos nos pagamentos 

Se a negociação se mostrar inviável, evite ao máximo atrasar os pagamentos das contas da empresa ou faça de forma seletiva. Algumas contas quando não pagas em dia podem ter como consequência a perda de crédito ou negativação e portanto devem ter prioridade no pagamento. 

Evite também ao máximo atrasar o pagamento do salário dos seus colaboradores e nunca atrase impostos como INSS retido de funcionários. Isso pode evitar grandes problemas no futuro.

Conclusão

Se engana quem pensa que só as grandes empresas estão sujeitas ao endividamento empresarial. Segundo levantamento da Serasa Experian, em maio de 2019, existiam no Brasil cerca de 5,3 milhões de pequenas e micro empresas com dívidas. E hoje, diante da crise mundial que se instalou nos últimos meses, esse número deve estar bem maior. 

Assim, seja qual for o porte de seu negócio, é fundamental saber mais sobre o assunto para conseguir evitar e/ou reduzir o endividamento da empresa.

E para saber mais sobre gestão financeira e outros assuntos de interesse para o crescimento do seu negócio, conheça os cursos da BCN Treinamentos e acompanhe nosso blog. 

Sobre o autor

BCN Treinamentos

Deixar comentário.

Share This