Gestão Financeira

Conheça 6 boas práticas para gerenciar o capital de giro!

Queda nas vendas, redução de produtividade, surgimentos de novos concorrentes, crise econômica, mudanças no mercado… Diversos fatores podem impactar a rotina das empresas e, em alguns momentos, podem colocá-las em dificuldade financeira. Quando isso acontece é necessário contar com um capital de giro que compense o aumento de despesas ou diminuição no faturamento.

O capital de giro, de uma maneira geral, tem como objetivo criar uma reserva financeira suficiente para manter o negócio em funcionamento durante um determinado período, sem que haja prejuízos em seus processos internos. Portanto, é uma forma de a empresa se resguardar diante dos momentos de dificuldades.

Porém, muitos empresários não têm a política de construir e manter um capital de giro. Essa postura pode colocar a empresa em risco, já que em um momento de baixa nos negócios, pode não dar conta de cumprir com os seus compromissos, o que leva a inadimplência, irregularidade, dívidas e, até mesmo, a fechar a empresa.

Agora que você já sabe como o capital de giro pode influenciar o desenvolvimento da sua empresa, que tal aprender como gerenciá-lo? É só acompanhar os próximos parágrafos!

1. Não conte com recebimentos futuros

Existe um ditado popular que diz para “não colocar a carroça na frente dos bois”. Apesar de parecer simplório, esse dito deve ser levado em consideração no mundo dos negócios. Alguns empresários costumam planejar suas finanças e despesas com recursos que ainda não entraram em caixa, ou seja, com as contas que a empresa ainda tem a receber.

Esse pode ser um grande erro, já que o dinheiro não está no seu caixa e não pode ser usado por você. Portanto, faça o seu capital de giro apenas com os recursos que podem ser movimentados pela sua empresa. Afinal, se acontece alguma situação emergencial é preciso ter uma verba disponíveis para lidar com ela.

2. Aumente a margem de lucro

Contar com uma margem de lucro maior é necessário para melhorar a saúde financeira do seu negócio. Uma vez que, quanto mais dinheiro sobra para a empresa, maior será o capital de giro disponível. Portanto, busque estratégias que permitam crescer a margem de lucro dos seus produtos ou serviços.

Uma das possibilidades é negociar com fornecedores em busca de melhores preços e condições de pagamento, o que permite maximizar o seu lucro em cada um das vendas de produtos ou serviços. Além disso, também pode buscar por matérias-primas que sejam mais baratas e que não impactem na sua qualidade.

3. Invista o dinheiro que está parado

O princípio do capital de giro envolve a manutenção de recursos em caixa para que sejam usados apenas nos momentos de dificuldade do negócio. Porém, dinheiro parado não é rentável e existem possibilidades de aplicar essas verbas em certos investimentos, o que permite uma rentabilidade interessante para manter a sua reserva financeira.

Mas lembre-se: capital de giro é para ser usado em curto prazo. Portanto, nada de fazer aplicações de longo prazo, pois isso travará o seu dinheiro e o impedirá de usá-lo em casos de emergências ou situações imprevistas.

O ideal é buscar investimentos de liquidez diária, o que reduz a desvalorização diante da inflação, além de ter maior flexibilidade na hora de movimentar o seu dinheiro.

Se você quer aprender a gerenciar melhor seu capital de giro faça nosso Curso de Gestão Estratégica de Tesouraria

4. Cuide do seu estoque

Produtos ou insumos parados em estoque são sinônimos de perda de dinheiro e prejuízos, pois eles não são comercializados e, consequentemente, não trazem retorno financeiro para a empresa. Por isso, é bastante importante contar com uma política eficiente de gerenciamento do estoque.

Para isso, é necessário fazer uma previsão de vendas, o que permite saber o que você deve ter estocado ou não e em quais quantidades. Assim, você garante a circulação de mercadorias e passa a saber o que o seu capital de giro pode esperar no futuro — seja para custear despesas, seja para garantir a manutenção da reserva financeira.

5. Estimule compras à vista

O cartão de crédito e a facilidade de parcelar as compras mudou os hábitos de consumo. Agora é possível ter acesso a uma série de produtos e serviços, mesmo sem ter todo o dinheiro para custear a transação. Porém, para as empresas, as vendas à vista serão sempre mais interessantes.

Isso porque as vendas a prazo estão atreladas à capacidade de pagamento do consumidor, no repasse do dinheiro pelas operadoras de cartão e outros fatores que podem vir a atrasar ou limitar o recebimento por parte da empresa. Já com as vendas à vista, o dinheiro entra no caixa do negócio naquele exato momento.

Dessa forma, é interessante estimular seus clientes a fazerem compras à vista. Para isso, promova campanhas de desconto para quem optar por esse modelo de negociação, ofereça vantagens e brindes ou busque outros tipos de benefícios que façam o consumidor priorizar as compras nesse modelo.

6. Evite financiamentos com bancos

Quando a situação se complica para uma empresa é normal que o comerciante recorra aos bancos para conseguir superar as dificuldades. Esse comportamento, porém, só acontece quando o negócio não conta com um capital de giro suficiente para manter o negócio em operação.

Porém, assumir financiamentos ou empréstimos com bancos é um grande risco para qualquer negócio, sobretudo para as micro e pequenas empresas. Os juros praticados por essas instituições são bastante elevados e podem trazer problemas ainda mais sérios para a organização.

Com isso, o negócio se verá em dificuldades e precisará lidar com desafios ainda maiores no futuro. Dessa forma, é sempre melhor trabalhar na construção e manutenção de um capital de giro que possa ser usado nos momentos mais delicados e que farão com que a empresa a siga funcionando.

O capital de giro é uma forma de garantir a segurança das empresas. Afinal, qualquer negócio está sujeito a períodos de dificuldades e queda nas vendas. Dessa forma, é importante ter uma reserva de recursos para cobrir as principais despesas e manter o seu negócio em operação. Aproveite as dicas deste texto em seu empreendimento.

Gostou deste artigo sobre como gerenciar o capital de giro da empresa? Então siga os nossos perfis no Facebook, LinkedIn e Twitter para ter acesso a outros conteúdos relevantes.

Sobre o autor

BCN Treinamentos

Deixar comentário.

Pin It on Pinterest

Share This