Quando vale a pena utilizar capital de terceiros?
Gestão Financeira

Quando vale a pena utilizar capital de terceiros?

Capital-de-terceiros

O capital de terceiros pode ser uma ótima fonte de financiamento para ajudar sua empresa a crescer, existem grandes vantagens em utilizá-lo, mas é necessário ter alguns cuidados para não pôr em risco a saúde financeira da sua empresa.

Normalmente, as empresas buscam capital de terceiros em duas situações: quando a empresa quer crescer e não tem capital próprio ou as linhas de financiamento têm taxas de juros muito atrativas, menor que o custo de oportunidade do acionista.

Para uma empresa se financiar existem duas possibilidades: capital próprio ou capital de terceiros. Conhecer suas diferenças, vantagens e desvantagens é muito importante para escolher corretamente a estrutura de capital da sua empresa. Se você quer conhecer mais sobre as duas formas de financiamento este artigo é para você!

Boa leitura!

O que é capital de terceiros e quais são suas vantagens?

Capital de terceiros é o montante que credores emprestam em forma de recursos para a empresa. Esses recursos podem vir para a empresa de diferentes maneiras, sendo a mais comum o financiamento ou empréstimo bancário. Outra forma de financiamento muito utilizada são as dívidas com fornecedores.

Assim, o capital de terceiros é obtido por meio de contrato de empréstimo ou financiamento, delimitados por taxas e prazos pré-definidos. Faz parte do passivo de uma empresa, de suas obrigações, e precisa ser pago acrescido de juros até o contrato terminar.

Veja, abaixo, algumas vantagens de recorrer ao capital de terceiros em sua empresa.

1. Você mantém o controle da sua empresa

Esta pode ser a maior vantagem do capital de terceiros: os credores não podem se envolver no negócio nem em sua gestão. Então, você tem o controle de todas as decisões e estratégias – e precisa estar preparado para isso.

2. Obrigações simples

A única obrigação da sua empresa com relação a terceiros é pagar a dívida. Não há outras interferências. Quer dizer, o único vínculo é através dos pagamentos a serem efetuados, os quais, uma vez realizados, encerram a ligação entre empresa e credores.

3. Previsibilidade

Previsibilidade significa segurança. Fazendo um empréstimo, você sabe quanto vai ter que pagar e de que forma. Cabe a você planejar essa operação financeira.

Esta questão é importante, em especial, para pequenas empresas pois elas terão ciência do valor financeiro a ser pago mensalmente, e isso ajudará a equilibrar a gestão e definir estratégias, já que os recursos, nesse caso, pedem maior controle e eficiência em sua aplicação.

4. Crescimento acelerado

O capital de terceiros pode proporcionar um rápido crescimento, do qual resultarão maiores lucros. A empresa muitas vezes passa por um momento em que as oportunidades são muitas e a geração de caixa não é suficiente para se auto financiar. Para conseguir aproveitar essas oportunidades e obter esse crescimento rápido é necessário se financiar com terceiros.

5. Diminuição da Base de Lucro Tributável

A dívida traz outro benefício para a empresa. Se a sua empresa estiver no regime de lucro real, o pagamento de juros pode ser abatido do lucro tributável, tornando a alíquota de impostos pagos pela empresa menor do que seria em caso de financiamento exclusivo com capital próprio.

Qual é a diferença entre capital de terceiros e capital próprio?

Mas e o capital próprio? Qual é a diferença entre ele e o capital de terceiros?

O capital próprio é, basicamente, o dinheiro que vem dos proprietários (sócios ou acionistas). É outra modalidade de financiamento da empresa, na qual os sócios precisam alinhar objetivos com a gestão da empresa e compartilhar riscos.

Ao escolher usar recursos dos acionistas, a empresa não se compromete com o pagamento de juros sobre o dinheiro obtido, e essa é uma vantagem. Veja abaixo outras vantagens de financiar seu negócio através de capital próprio:

1. Dinheiro no caixa

Sem dívidas a serem quitadas, sobra dinheiro no caixa para investir no negócio já que não há obrigatoriamente necessidade de devolver o capital próprio.

2. Ganha-ganha

É uma relação em que investidores são parceiros da empresa e têm o objetivo de obter resultados. Conhecimentos podem ser trocados, proporcionando experiências como de liderança e visões de mercado. Quer dizer, know-how estratégico visando à rentabilidade do negócio.

3. Menor possibilidade de falência

Os credores podem forçar a empresa a anunciar falência, caso o negócio esteja indo mal e os pagamentos não estejam sendo realizados. Em compensação, os investidores podem esperar o cenário se modificar ou investir quantias maiores no empreendimento.

4. Melhor reputação no mercado

Empresas com grandes dívidas são consideradas de alto risco por investidores potenciais. Portanto, tenha isso em mente quando escolher o grau de alavancagem do seu negócio.

E as Desvantagens do Capital Próprio?

Uma desvantagem é que o risco da operação é dos sócios, que somente serão remunerados se houver lucros. Prejuízos em investimentos com capital próprio são assumidos integralmente, com risco de perda de capital.

Outros pontos são:

  • Quando uma empresa tem uma participação muito grande de capital próprio, os executivos da empresa precisam do aval dos acionistas para a tomada de decisão, diminuindo assim a autonomia da gestão do negócio
  • Diferenças entre visões dos acionistas pode gerar conflitos de interesse, dificultando a gestão do negócio.
  • Com o passar do tempo, a distribuição de lucros pode exceder o que o empreendedor gastaria ao pagar um financiamento ou um empréstimo.

Como decidir entre capital de terceiros ou capital próprio?

Ao escolher a estruturação do capital, deve haver muita reflexão para aumentar os lucros da empresa. A estrutura do capital determina o desempenho de uma organização.

Você viu que o capital de terceiros e o capital próprio têm vantagens e desvantagens, então terá que analisar de acordo com seu caso qual é o mais apropriado.

Por exemplo, se você acredita que seu negócio vai ser lucrativo, pode confiar em tomar um empréstimo em vez de dividir lucros. Pense, ainda, em quanto sua empresa deve crescer e em qual velocidade estimada: empresas com capital de terceiros costumam crescer mais rapidamente, embora isso nem sempre seja realidade.

Avalie, ainda, o risco do negócio: quanto maior, menor deve ser o endividamento. É o que falamos sobre sua confiança – baseada em seu plano de negócios, suas estratégias e indicadores – na lucratividade do empreendimento.

Conclusão

Você viu a importância de escolher a estruturação de capital correta para seu negócio: capital de terceiros ou capital próprio, cada uma com suas vantagens e desvantagens.

As duas alternativas são elementos da gestão financeira da empresa e trabalham de forma contínua. O que determinará a melhor entrada de recursos é a avaliação detalhada da situação da empresa e a administração do capital.

Capital próprio não envolve dívidas com terceiros, mas distribuição de lucros, além de oferecer menor possibilidade de falência. O capital de terceiros proporciona crescimento mais rápido e o seu controle sobre a empresa.

Qualquer que seja sua escolha, é importante que você procure sempre mais conhecimentos sobre gestão financeira, para não ficar atrás da concorrência. Estude o mercado e a aplicação de seus recursos, assim como a previsão de receitas e despesas. Pensando nisso, que tal dar uma olhada em nosso catálogo de cursos? Quem sabe mais, está sempre à frente!

Indicamos a você o curso de Gestão de Indicadores Financeiros da BCN Treinamentos. Neste curso você descobrirá como os indicadores financeiros são cruciais para garantir o bom gerenciamento de uma empresa e como essas métricas permitem que você tome decisões oportunas em seu empreendimento.

Até a próxima!

Sobre o autor

Carolina Ferreira Aleixo

Deixar comentário.

Share This