Quais as consequências de não saber fazer planejamento financeiro?
Gestão Financeira

Quais as consequências de não saber fazer planejamento financeiro?

Escrito por BCN Treinamentos

Muito se fala sobre a necessidade de saber fazer planejamento financeiro para qualquer negócio, independentemente do tamanho e do tempo de atuação no mercado. E não é para menos, já que ele é um documento vital para manter a máquina organizacional funcionando.

Por isso, é essencial que o gestor do setor saiba todas as técnicas necessárias para elaborar esse planejamento, a fim de garantir o máximo de eficiência e não causar consequências severas ao ordenamento da empresa devido a problemas gerados pela falta de recursos.

Se você alcançou o cargo de líder dessa área recentemente e se vê na situação de ter que elaborar o planejamento financeiro pela primeira vez, continue lendo este conteúdo.

Você verá como o planejamento é vital para toda organização, aprenderá quais as principais consequências que podem ocorrer, caso ele não seja elaborado eficientemente, e saberá a importância da qualificação nesse processo.

O planejamento financeiro como algo vital para toda empresa

O planejamento financeiro é o documento no qual constam os parâmetros que serão seguidos no setor financeiro ao longo do período estabelecido. Ele é uma espécie de fio condutor para que funcionários, gestores e diretores estejam alinhados em relação à gestão de custos.

Além disso, ele também é responsável por orientar o uso saudável e sustentável do orçamento disponível para o prazo estimado, de forma que, se seguido adequadamente, proporcione organicidade e eficiência no dia a dia, potencializando o crescimento da empresa.

As consequências de não fazer planejamento financeiro eficiente

O papel do gestor financeiro é fundamental nesse processo. Ele deve se certificar de elaborar um documento embasado em dados objetivos e estratégias financeiras, a fim de minimizar as chances de qualquer erro, bem como prever formas de avaliação periódicas.

Isso porque a disponibilidade de recursos é fundamental para o funcionamento adequado da empresa. Todos os processos, independentemente do setor, dependem de uma verba disponível para manterem suas funções ativas.

Veja quais são as principais consequências a curto e longo prazo, caso o documento seja frágil ou as estratégias contidas nele não sejam eficientes.

Falta de controle sobre as finanças

O controle das contas é essencial para manter a eficácia da máquina produtiva. Caso contrário, pode haver gastos excessivos desnecessários, não previstos, comprometendo o fluxo de caixa e, em alguns casos, levar ao esvaziamento do capital de giro, prejudicando seriamente o funcionamento da empresa.

Avaliação errônea da situação real da companhia

O controle financeiro advindo de um planejamento eficiente proporciona a avaliação e compreensão adequadas da real situação da empresa. Quando o documento não se embasa em dados objetivos e estatísticas, pode-se ter uma percepção errada do orçamento e do fluxo de caixa.

Com isso, há o risco de propor gastos elevados que, na verdade, não deveriam ocorrer em determinado momento. Gera-se, assim, diversos problemas, tal como falaremos posteriormente.

Também se perde a visibilidade e a compreensão do que, de fato, está ocorrendo, dificultando a proposição de soluções para possíveis situações de crise.

Comprometimento das funções dos departamentos

Todos os departamentos necessitam de um orçamento básico para seu funcionamento adequado. Caso contrário, os serviços realizados podem ser comprometidos ou, em alguns casos, totalmente inviabilizados. Quando há um problema no planejamento financeiro, potencializa-se o surgimento desse entrave.

Veja um exemplo simples: se o gestor financeiro não leva em conta esse fator ao propor uma realocação de verba, pode tirar valores que eram essenciais para a compra de insumos de um determinado departamento. Sem eles, não se pode cumprir as funções diárias e, assim, compromete-se a produtividade não só desse setor, mas de toda a empresa.

Aumento do endividamento

Se não há uma visão clara dos valores disponíveis e de um teto de gastos, pode-se ter mais contas a pagar do que o orçamento prevê. O resultado é o aumento das despesas e, em casos mais graves, a perda da lucratividade e o endividamento da organização.

É importante, para evitar essa questão, que o gestor financeiro considere pontos essenciais no planejamento financeiro, como variações sazonais no fluxo de caixa. Assim, em períodos nos quais há uma diminuição das vendas, não serão geradas dívidas que possam causar problemas a longo prazo, mesmo após o restabelecimento do fluxo de vendas.

Redução dos investimentos no negócio

Para que se invista em melhorias necessárias na organização, é primordial que haja dinheiro em caixa, minimizando a dependência de um financiamento longo.

Quando o planejamento não é feito eficientemente, principalmente sem considerar os ciclos financeiros da organização, há uma disponibilidade menor de recursos para investimentos.

Além disso, quando há uma avaliação eficiente, pode-se determinar que não é um bom momento para investir, pois a verba poderá ser mais bem utilizada em outro contexto.

Perdas de oportunidade de crescimento

Se não há um controle financeiro que permita poupar recursos, pode-se perder oportunidades importantes de crescimento a longo prazo e, com isso, eliminar chances de conseguir vantagem competitiva.

Por exemplo, se há uma brecha de oportunidade para lançar um novo produto no mercado, são necessários investimentos em pesquisas sobre melhores formas de produção, compra de insumos com fornecedores, análise de mercado sobre aceitação por parte do público-alvo, entre outros.

Com descontrole financeiro, não há orçamento disponível para tornar viável o lançamento, perdendo-se, assim, grandes oportunidades de conquistar o diferencial no mercado.

Falência

Dependendo da gravidade da situação, a falta de organização financeira pode conduzir, até mesmo, a um quadro insustentável, chegando ao cenário de falência.

A importância da qualificação para elaborar um bom planejamento financeiro

Para fazer planejamento financeiro eficiente, o gestor financeiro e sua equipe devem dominar os conhecimentos necessários de avaliação, mensuração, planejamento e aplicação, de forma a utilizarem estratégias atuais e que acarretem em um controle eficiente do orçamento no período estabelecido.

É essencial que os responsáveis estejam sempre em busca de qualificação, tanto pessoal quanto da equipe como um todo. Quanto mais domínio tiverem acerca das principais ferramentas utilizadas no setor, maiores serão as chances de produzirem um documento eficiente e que traga resultados positivos para a empresa.

Gostou do nosso conteúdo sobre as consequências de não fazer planejamento financeiro? Então, saiba que também é necessário ter domínio sobre as principais características desse tipo de documento. Quer ficar por dentro? Então aproveite, leia nosso conteúdo sobre o assunto e tire suas dúvidas a respeito do tema.

Sobre o autor

BCN Treinamentos

1 comentário

Deixar comentário.

Share This