Fluxo de caixa financeiro: quais são os requisitos para sua implantação?
Gestão Financeira

Fluxo de caixa financeiro: quais são os requisitos para sua implantação?

Escrito por BCN Treinamentos

Não importa o tamanho ou tipo de empresa, a organização financeira deve fazer parte da sua rotina. Afinal, ela é fundamental para o planejamento e controle financeiro. E para isso, os gestores contam um instrumento básico, o chamado fluxo de caixa financeiro.

O objetivo do fluxo de caixa financeiro é apurar e projetar o saldo disponível para que nunca falte capital de giro para investimentos ou gastos eventuais. 

Quer saber mais sobre fluxo de caixa financeiro e como deve ser feita a sua implantação? Então, não perca tempo e acompanhe este nosso novo artigo.

Boa leitura e bons negócios!

O que é o fluxo de caixa financeiro?

Fluxo de caixa financeiro nada mais é que o movimento de entradas e saídas de dinheiro do caixa da empresa. É tudo aquilo que a empresa recebe ou paga no seu dia a dia. 

Para um bom controle do fluxo de caixa, é necessário fazer registros detalhados dos: 

  1. Recebimentos (entradas): vendas à vista e a prazo, recebimento de duplicatas, juros de investimentos, etc;
  2. Pagamentos (saídas): compras à vista e a prazo, pagamento de despesas e salários, pagamento de juros, compra de ativos, etc;
  3. Previstos: pagamentos e recebimentos futuros conhecidos

Durante a elaboração do fluxo de caixa financeiro, o gestor conseguirá ter uma visão clara da situação atual e futura do negócio, podendo avaliar com seguranças a disponibilidade financeira e a liquidez da empresa. 

O resultado final do fluxo de caixa é o saldo disponível, apurado pela diferença entre o total do valor dos recebimentos e pagamentos realizados em um determinado período. E esse saldo final do fechamento de caixa deve ser igual ao valor dos recursos disponíveis no caixa da empresa ou depositados em contas bancárias. 

Mas atenção: fluxo de caixa é diferente de lucro e para saber mais sobre isso aconselhamos a leitura do nosso artigo Fluxo de caixa x lucro: qual é a diferença?

Estrutura do Fluxo de Caixa

A estrutura do fluxo de caixa vai depender da natureza da empresa e também das necessidades dos gestores. Porém, para melhor compreender o assunto fluxo de caixa financeiro, é aconselhável conhecer alguns termos bastante utilizados na área: 

  • Ciclo operacional: é o período de tempo desde a compra de matéria-prima para a indústria ou das mercadorias que serão comercializadas, até o recebimento do dinheiro relativo à venda dos produtos. Ele é igual ao prazo médio de estocagem mais o prazo médio de recebimento das vendas a prazo.  
  • Ciclo financeiro: é o período de tempo entre o pagamento a fornecedores e o recebimento das vendas.  É calculado pelo ciclo operacional subtraído do prazo médio de pagamentos.
  • Disponibilidade financeira: é o valor correspondente ao saldo de caixa mais os recursos financeiros depositados nos bancos.
  • Saldo inicial: é o saldo de caixa no início do período da data da elaboração do fluxo de caixa financeiro.
  • Saldo final de caixa: é obtido através da soma do saldo inicial mais as entradas de caixa deduzindo as saídas de caixa.
  • Ciclo de caixa: é o tempo em que o caixa da empresa está imobilizado entre o pagamento por insumos destinados à produção e a cobrança do pagamento da  do produto acabado.
  • Giro do caixa: representa quantas vezes o caixa movimenta-se por ano na empresa em função do seu ciclo financeiro. Quanto maior for o giro melhor para empresa, pois precisará de menos capital de giro para abastecer o caixa. 
  • Caixa operacional mínimo: o valor mínimo de recursos financeiros de que uma empresa necessita para financiar suas atividades operacionais. 

Veja também: Ciclo operacional e ciclo financeiro: por que são tão importantes?

Quais são os requisitos para a implementação do fluxo de caixa?

No início pode parecer que a implementação do fluxo de caixa financeiro é bastante trabalhosa. Mas no entanto, é muito simples e com o passar do tempo sua elaboração se torna quase que automática.

Para elaborar o fluxo de caixa e implantá-lo é necessário, antes de tudo, poder contar com dados econômicos e financeiros confiáveis. Dados que retratem com fidelidade a situação da empresa. Mas, além disso, será preciso também:

  • Apoio da diretoria da empresa;
  • Organização da estrutura da empresa com a definição dos níveis de responsabilidades de cada área;
  • Integração dos diversos departamento da empresa ao sistema do fluxo de caixa;
  • Definição do sistema de coleta de informações e de um calendário para a entrega dos dados;
  • Treinamento dos profissionais responsáveis pelo implantação do fluxo de caixa financeiro na empresa;
  • Desenvolvimento de um manual de operações financeiras;
  • Fluxograma das atividades na empresa,definindo quais as atividades de meio e quais as atividades fins. 

Como elaborar o fluxo de caixa financeiro

O fluxo de caixa deve ser elaborado utilizando-se uma planilha e observando-se  o seguinte: 

Inicie lançando no “contas a pagar” e no “contas a receber” os compromissos já assumidos e os valores a receber já conhecidos ou facilmente estimados; 

  1. Separe as saídas de dinheiro em pelo menos três categorias: fornecedores, despesas (administrativa, comerciais e financeiras) e outras saídas.
  2. Do outro lado do fluxo, ficam as entradas, que costumam vir principalmente do que a empresa recebe das vendas. 
  3. Faça essa operação diariamente e depois de calcular o valor das entradas menos o das saídas, somando ao saldo inicial, o empresário tem acesso ao saldo final do dia. Lembrando que esse número deve coincidir com o valor existente nas contas bancárias. 

E atenção para os seguintes detalhes:

  • O saldo de caixa não indica, necessariamente, que a empresa está tendo lucro ou prejuízo em suas atividades operacionais. 
  • Saldos diários elevados, tanto negativos quanto positivos, indicam que a organização financeira da empresa precisa melhorar. Saldos negativos implicam em financiamentos a custos elevados, já saldos positivos significam que o dinheiro poderia render juros em aplicações ou em melhores condições de pagamento junto aos fornecedores. 
  • Saldos negativos devem ser analisados com muito cuidado. É preciso identificar a causa: atraso nos recebimentos, alta taxa de inadimplência, queda nas vendas, etc. 

Veja também:

5 boas práticas para fazer um fluxo de caixa perfeito

7 erros que você deve evitar no controle de caixa

Conclusão

Para que sua empresa cresça com saúde e seja possível alcançar todas as metas desejadas, ter um bom fluxo de caixa financeiro e extremamente importante. Afinal, esta é uma ferramenta é indispensável para quem quer manter as contas em ordem. 

E, para entender na prática como funciona o fluxo de caixa, é importante ter o máximo de conhecimento possível sobre a área, adquirido, por exemplo no nosso Curso de Gestão Estratégica da Tesouraria.

Powered by Rock Convert

Sobre o autor

BCN Treinamentos

Deixar comentário.

Share This