Gestão Financeira

Aprenda como reduzir a inadimplência de clientes!

Qualquer empresa, seja um varejo ou uma prestadora de serviços, depende das suas vendas para manter as operações. Ou seja, é preciso que as pessoas paguem por aquilo que vão consumir. No entanto, os empresários sabem como pode ser difícil receber no momento certo. Sendo assim, o que fazer para reduzir inadimplência?

Esse questionamento é bastante comum no mundo dos negócios, e não existe uma fórmula que faça com que as pessoas cumpram com os seus compromissos. Diante desse cenário, as empresas precisam desenvolver estratégias para lidar com as situação de inadimplência dos seus consumidores.

Quando um negócio não tem entrada de dinheiro, é sinal de que terá prejuízos em breve, já que não terá caixa para custear suas despesas — como aluguel, água, energia elétrica, internet, funcionários, matérias-primas, entre outros compromissos essenciais para a manutenção da empresa.

Algumas práticas podem ajudar a reduzir inadimplência dos clientes. Quer saber o que fazer? Então continue a leitura deste artigo!

Envie lembretes de pagamento

A tecnologia deve ser usada sempre a favor das empresas. Quando o assunto é o pagamento de contas, existem recursos atuais que permitem construir um bom relacionamento com os seus clientes e ainda estabelecer uma política de lembretes de pagamento — o que pode reduzir a inadimplência.

Todos sabemos que com a correria do dia a dia estamos sujeitos a esquecer um ou outro compromisso. Assim, ofereça aos seus clientes um serviço de lembrete de pagamento, que pode funcionar por meio de e-mails, mensagens SMS, mensagens via WhatsApp, ligações e até mesmo por contato pelas mídias sociais.

Ofereça opções de pagamento

Quando uma empresa oferece diversas formas de pagamento para os seus clientes, há mais chances de ela receber pelos produtos ou serviços comercializados. Afinal, os consumidores têm à disposição todos os meios de pagamento que podem ser usados, inclusive quando um ou outro não funciona.

Dessa forma, é interessante trabalhar com opções que vão além do dinheiro. Avalie opções como cheques, cartões de débito, cartões de crédito e modelos menos tradicionais, como os vale-alimentação, vale-refeição, carnês, boletos e outras possibilidades que estão disponíveis no mercado.

Estimule o pagamento à vista

Mesmo que haja diversas formas de pagamento, procure sempre estimular os seus clientes a fazerem compras à vista. Lembre-se que transações financiadas ou parceladas estão atreladas à condição de pagamento dos consumidores, ou seja, em algum momento corre-se o risco de não receber a parcela devida.

Portanto, crie estratégias que estimulem as pessoas a pagarem à vista pelos produtos ou serviços comprados. Uma boa estratégia é apostar em descontos, condições especiais, brindes e outros mecanismos que tornem a compra à vista muito mais atrativa do que qualquer transação à prazo.

Não faça cobranças em horários inoportunos

É estressante para os empresários saber que há uma série de contas a receber e que os clientes não estão pagando. Afinal, são esses recursos que manterão o negócio em funcionamento, inclusive arcando com a compra de insumos e matérias-primas necessárias para produzir ou vender os produtos que já estão nas prateleiras.

No entanto, não adianta fazer as suas cobranças em horários inoportunos. As melhores situações são sempre no horário comercial, quando as pessoas estão trabalhando, produzindo e abertas a lidar com qualquer situação relacionada a transações comerciais. Fazer essas ligações à noite ou no horário do almoço, por exemplo, não é aconselhável.

As pessoas podem ficar irritadas e isso vai dificultar ainda mais o pagamento da dívida. Lembre-se que existem diversos fatores que levam uma pessoa a ficar endividada, e o ato da cobrança sempre tem um peso negativo. Para manter uma relação saudável e garantir o recebimento da quantia devida, saiba ser cortês.

Não venda sem nota fiscal

Todo empresário sabe que vender sem nota fiscal é ilegal, mas é “normal” vermos empresas negociando sem a emissão do documento oficial de transação. Essa prática acontece para burlar o recolhimento de impostos e melhorar a margem de lucros dos produtos ou serviços.

Além de ser ilegal, a venda sem nota fiscal pode aumentar o prejuízo em casos de inadimplência, pois a empresa fica sem o amparo legal necessário para lidar com ações judiciais contra aqueles clientes que estão há muito tempo inadimplentes e não demonstram interesse em quitar o débito.

Consulte os serviços de análise de crédito

Você já deve ter ouvido aquele velho ditado: “o seguro morreu de velho”. Portanto, sempre que for efetuar uma venda a prazo ou financiada, procure serviços de análise de crédito para ter mais confiança naquela transação comercial, já que esse tipo de serviço apresenta o comportamento de compra do consumidor.

Com essa prática, você saberá se aquela pessoa tem algum histórico recente de inadimplência, se possui alguma dívida em aberto ou se está com o nome sujo na praça. Diante desse quadro, é melhor deixar de vender do que assumir a possibilidade de tomar um calote quando precisar receber pelos produtos ou serviços vendidos.

Tenha o histórico dos seus clientes

Toda empresa conta com uma série de clientes que compram com ela recorrentemente. Sendo assim, é importante montar um cadastro desses consumidores e registrar todas as transações feitas com o cliente — para saber se ele tem o costume de pagar em dia, se tende a atrasar uma ou outra parcela ou se é mau pagador.

Assim como no caso de análise de crédito, a sua empresa contará com mais um mecanismos que alertará se vale a pena ou não assumir aquela transação. Com isso, você reduzirá as chances de inadimplência.

Valorize os bons pagadores

Mais do que trabalhar para evitar a inadimplência dos clientes, uma empresa precisa valorizar os consumidores que têm histórico de bons pagadores. Essa é uma forma de estimular que as pessoas paguem antecipadamente, honrem os seus compromissos e não fiquem em débito com você.

Para isso, ofereça descontos, promoções, brindes, flexibilidade de pagamento e outras vantagens que podem ser conseguidas por quem é bom pagador.

Quem trabalha no comércio e com prestação de serviços sabe que é complicada a relação com os consumidores, sobretudo com aqueles inadimplentes. No entanto, é importante ser sempre cortês e saber como fazer as cobranças, pois causar constrangimentos pode dificultar ainda mais o contato. Aplique as dicas deste texto e busque reduzir inadimplência.

Gostou de saber como reduzir inadimplência dos clientes? Então continue aprendendo e saiba como evitar que os consumidores não cumpram com os seus compromissos.

Sobre o autor

BCN Treinamentos

Deixar comentário.

Pin It on Pinterest

Share This