Concessão de crédito: saiba por que e como realizar de forma eficiente
Gestão Financeira

Concessão de crédito: saiba por que e como realizar de forma eficiente

Escrito por BCN Treinamentos

Empreender em tempos de crise é um desafio para todas as empresas em geral, e vários fatores podem dificultar a gestão de um negócio. Contudo, uma dificuldade da grande maioria é a inadimplência da concessão de crédito.

Por isso, toda empresa deve ter muita atenção e tomar alguns cuidados na concessão de crédito para evitar futuros problemas financeiros.

Para melhorar o desempenho na recuperação de dívidas na sua empresa, vamos recomendar algumas atividades que farão com que a inadimplência diminua. Confira!

Busque informações sobre os clientes

Quanto mais informações úteis você possuir acerca do cliente que solicita o crédito, melhor poderá avaliar a probabilidade dele cumprir com os pagamentos.

Para isso, as informações devem vir de fontes diversificadas. Você pode consultar com o gerente do seu próprio banco informações que possam contraindicar um cliente.

No caso das empresas, avalie o Imposto de Renda declarado, os documentos que atestem lucro e índices de liquidez disponibilizados, verificando sempre a autenticidade desses documentos.

Peça sempre ao cliente que forneça diretamente algumas informações como documento de identidade, comprovante de endereço e número de telefone.

Você deve criar um formulário padrão para preenchimento do cliente como uma condição à concessão de crédito. Nele, entre outras informações, pode-se reservar um campo para indicação de contatos dos principais fornecedores e de pessoas que se habilitem a fornecer recomendações sobre o cliente.

Lembre-se que para a eficiência do novo procedimento de concessão de crédito é essencial que a equipe da área comercial esteja ciente da real situação dos clientes e devedores. Dessa forma, é preciso haver coordenação das informações para evitar concessões com grande potencial de inadimplência.

Uma maneira de vender com mais segurança é associar as comissões de vendedores aos valores recebidos, e não ao faturamento previsto.

É fundamental criar uma tabela com os limites de crédito para cada empresa. Logo, após a avaliação do cliente, é possível, com base nas informações apresentadas, o gestor financeiro oferecer crédito coerente com o que o cliente pode pagar.

Exija garantias

Se no caso de não pagamento da dívida, o equilíbrio financeiro da sua empresa possa ser colocado em risco, você deve exigir uma forma de garantia do pagamento.

As formas mais confiáveis de assegurar o pagamento são: garantia bancária e fiador.

Se o cliente consegue uma garantia bancária ou um fiador, é um bom indicador de que ele tem intenção de pagar a dívida. E no caso de inadimplência, a responsabilidade de quitar a dívida é de quem forneceu a garantia, por isso, tanto o fiador quanto o banco serão criteriosos na hora de conceder o benefício.

No caso do fiador, sua garantia só é válida se ele possuir bens que possam garantir o pagamento da dívida. Nunca conceda crédito a um cliente se você suspeitar que ele contratou um “fiador profissional”, portanto, sempre investigue a ligação entre os dois.

A melhor maneira de garantir a autenticidade do fiador é exigindo comprovação de posse de imóvel, de preferência no mesmo município ou estado em que sua empresa reside. As certidões de posse devem ser fornecidas pelo fiador e analisadas pela empresa.

Tal posse é uma forma de garantir e facilitar a execução dos bens caso seja necessário.

Já as garantias bancárias só devem ser aceitas caso o banco fornecedor seja de confiança. Elas devem ser confirmadas pelo banco emissor e o documento original deve ser guardado em total segurança.

As garantias que são chamadas de “First Demand“, ou em português “Primeira Demanda”, devem ter preferência, pois impedem que o devedor bloqueie o pagamento pelo banco. Assim, no caso de necessidade de execução da garantia, o banco terá que pagar a dívida imediatamente.

Existem outras formas de garantia, como penhoras e hipotecas. Contudo, elas dificilmente oferecem a mesma segurança que um fiador ou garantias bancárias. Desse modo, ao aceitar outros tipos de garantia, assegure a existência e situação dos bens declarados, bem como a viabilidade de ressarcimento da dívida pela garantia apresentada.

Monitore as informações

Para reduzir as perdas causadas pela inadimplência você precisará controlar a evolução da situação de dívidas e recebimentos. Além disso, quando constatado um atraso é necessário tomar imediatamente as medidas cabíveis para que se tenham melhores chances de que a dívida seja quitada.

Então, crie uma planilha que indique para cada cliente o total da dívida, o valor já vencido, o valor ainda não vencido e os classifique em períodos com intervalos quinzenais ou mensais.

Essa é uma das maneiras de se fazer a gestão dos custos de dívidas e de constantemente atualizar as informações para que seja possível fazer projeções e manter o controle sobre os vencimentos a receber.

É recomendável que a empresa tenha, a depender do seu tamanho e objetivos, um ou mais empregados responsáveis pela atualização e análise constante dessa planilha.

Com as informações inteligentemente organizadas, logo que for constatado um atraso de pagamento, será mais fácil contatar o devedor e propor um novo plano para liquidação da dívida.

Nesses casos, o devedor deve ser orientado a enviar uma solicitação de novo prazo para o pagamento, o motivo do atraso e a nova data acordada.

Tente nessa oportunidade obter um cheque pré-datado. Ou, se o cliente não tiver condições de quitar a dívida em um só pagamento, negocie condições de parcelar esse novo plano de liquidação. Mas, dessa vez, considere a cobrança de juros e informe o setor comercial da situação.

Não hesite em agir

No caso de sinais de que o cliente não tem intenção de quitar a dívida ou de contínuo descompromisso com as condições estabelecidas, você deve agir o mais rápido possível. Caso contrário, as chances de receber os vencimentos vão cair rapidamente.

Então, é preciso que se crie um plano de ação fundamentado em etapas de cobrança e prazos pré-estabelecidos para se colocar em prática assim que um atraso se tornar preocupante.

Você pode começar com avisos por meio de cartas e mensagens, dando uma data limite para o pagamento e passar para ações como corte de fornecimento, contatar o banco ou fiador, acionar advogados, e por fim medidas judiciais.

Porém, devemos mencionar que o melhor caminho para garantir o recebimento é sempre tentar chegar a um acordo.

Como sabemos, muitas vezes um acordo, por mais que não seja a forma justa de resolver uma situação de inadimplência, é menos custoso do que arcar com um longo processo, além de ser uma maneira de assegurar o pagamento de ao menos parte da dívida.

Administrando de forma harmoniosa as atividades descritas, sua empresa terá muito mais segurança e melhores resultados na gestão financeira, reduzindo a inadimplência e, possivelmente, aumentando o lucro.

Para outras informações valiosas que ajudarão você a melhorar a gestão da concessão de crédito e de outras áreas da sua empresa, siga a BCN Treinamentos no Facebook, LinkedIn e Twitter, e tenha acesso ao melhor conteúdo!

Sobre o autor

BCN Treinamentos

Deixar comentário.

Share This