Além do Orçamento (Beyond Budgeting)
Gestão Financeira

Além do Orçamento (Beyond Budgeting)

beyond-budgeting-alem-do-orcamento

As constantes mudanças no cenário econômico nas últimas décadas levaram gestores, acadêmicos e investidores a procurarem novas formas de gestão e controle orçamentário que acompanhassem toda essa dinâmica do mercado. E foi aí que surgiu o Beyond Budgeting.

Ele se contrapõem ao processo tradicional e se caracteriza por ser um método de gestão flexível, descentralizado, sem orçamentos e com as decisões sendo tomadas pelos “gerentes de linha de frente”.

Quer saber mais? Acompanhe este nosso novo artigo e fique por dentro do assunto.

Boa leitura!

O que é o modelo Beyond Budgeting

Existem diversos tipos de orçamentos empresariais e processos que podem ser encontrados nas organizações, tais como o Orçamento Matricial, Orçamento Baseado em Atividades, Rolling Forecast, Orçamento Base Zero, etc. No entanto, o Beyond Budgeting tem uma abordagem um pouco diferente desses, a começar pelo nome que em tradução livre significa “além do orçamento”.

A ideia do Beyond Budgeting começou a ser desenhada no início da década de 70 do século passado quando o banco sueco Svenska Handelsbanken decidiu abandonar o modelo tradicional de orçamento, uma vez que esse não estava satisfazendo as necessidades da organização e também trazendo consequências não desejáveis. Com o passar do tempo, outras empresas foram também abandonando o método tradicional, como por exemplo, a dinamarquesa Borealis (1998) e francesa Rhodia (1999).

No entanto, o conceito só passou a existir formalmente em 1998, quando um grupo de 60 empresas criou, na Inglaterra, o BBRT (Beyond Budgeting Round Table), com o objetivo de desenvolver um modelo de gestão sem a utilização do orçamento empresarial e através do desenvolvimento de um processo baseado em flexibilidade e descentralização, que pudesse permitir uma maior competitividade.

Dessa forma, o planejamento estratégico da empresa não seria mais elaborado pela alta gestão, mas sim de forma descentralizada e recorrente, tendo como parâmetro de referência o mercado. As metas e objetivos não seriam mais derivados de métricas financeiras, passando a ser negociados diretamente com os gestores utilizando indicadores flexíveis.

Beyond Budgeting X Orçamento Tradicional

De acordo com os defensores do Beyond Budgeting, o orçamento tradicional possui alguns graves inconvenientes, entre eles:  

  • Centralização por meio do sistema de orçamento, com destaque para a coerção e não para a coordenação; 
  • Foco na redução de custos e não na criação de valor; 
  • Restrição de iniciativas; 
  • Planejamento e execução sem a proximidade desejada;
  • Problemas na alocação de custos, ditos como não negociáveis.

Dito isso, podemos dizer que as principais diferenças entre o método de gestão orçamentária tradicional e o Beyond Budgeting são: 

 

Beyond Budgeting

Método tradicional

Metas 

Flexíveis com monitoramento contínuo e negociada com os gestores

Fixas e anuais

Coordenação

Os gestores coordenam as atividades com base em  acordos periódicos e as necessidades dos clientes

As atividades são coordenadas de acordo com o planejamento de outros gestores

Controle 

Só existirá interferência se a tendência dos indicadores se mostrar fora de parâmetros estabelecidos

Monitoramento mensal de desempenho, com revisão de variações significativas

Hierarquia

Descentralizada

Centralizada

Planos 

Modelo adaptável

Fixos

Recursos 

Liberação de recursos conforme a necessidade

Disponibilidade de acordo com os orçamentos operacionais e de capital

Premiações e bonificações

Recebimento a partir da avaliação do grupo de gestores responsável por analisar o desempenho

Recebimento mediante enquadramento nos objetivos das metas estabelecidas

Fonte: Blog Orçamento Empresarial

Vantagens e desvantagens do Beyond Budgeting

Vejamos agora as vantagens e desvantagens do método Beyond Budgeting:

Vantagens

  • A gestão flexível e descentralizada proporciona aos gestores a tomada de decisões de forma rápida e apropriada às demandas; 
  • O fato de não se elaborar um orçamento anual acarreta uma redução do trabalho e também dos custos. Assim, os profissionais, antes envolvidos na elaboração do orçamento, passam a dedicar seu tempo a atividades mais relevantes;
  • Com a mudança do modelo de centralizado em termos de controle para descentralizado, as equipes passam a se engajar mais no planejamento e controle;
  • As lideranças são beneficiadas, pois passam a ter mais tempo para atividades de orientação de seus colaboradores;
  • Criação de um ambiente de autonomia, liberdade e criatividade para os profissionais, proporcionando inovações impensáveis em empresas com orçamentos fixos;
  • Uma vez que todos os profissionais se sentem mais envolvidos na gestão, passam a ter maiores compromissos com os resultados, buscando sempre uma redução de custos;
  • As necessidades dos clientes serão atendidas de maneira adequada, pois não existe pressão para atingir as metas;
  • A ausência da pressão das metas fixas torna possível uma melhoria no ambiente geral da empresa.  

Desvantagens

Dentre as desvantagens ou limitações da metodologia podemos destacar:

  • É necessário um grande comprometimento dos gerentes operacionais, já que eles também participarão da definição de estratégia;
  • Exige definição dos benchmarks que serão utilizados para a comparação e definição das estratégias;
  • Dificuldades em fazer com que gestores abandonem o hábito de controlar e comandar;
  • É fundamental que se tenha um diagnóstico detalhado e claro de toda organização, como missão, metas organizacionais e departamentais, potencialidade de recursos materiais, humanos etc;
  • Necessidade de se elaborar uma sistemática de controle bem definida, levando em consideração a análise custo/benefício.

Por fim, podemos dizer que o Beyond Budgeting evidencia uma série de possíveis problemas no processo orçamentário tradicional e sugere a sua não utilização como forma de solução. No entanto, para diversas dificuldades apontadas no processo tradicional, e já mencionadas anteriormente neste texto, existem soluções e o esforço da organização deve ser sempre no sentido melhorá-lo ao invés de simplesmente eliminá-lo. Sua eliminação, quase acontecesse, com certeza, deixaria algumas lacunas na gestão empresarial. 

Não se deve ignorar o Beyound Budgeting, afinal ele aponta para boas práticas e serve como referência para que os gestores encontrem novas e melhores soluções.  

Conclusão

Existem diversas metodologias e ferramentas quando o assunto é gestão financeira, por isso é importante o estudo e aprimoramento contínuo, principalmente em uma economia tão dinâmica quanto a nossa. 

Assim, o bom profissional deve estar sempre se atualizando, seja por meio de leituras em blogs e revistas da área ou por meio de cursos.

E por falar em cursos, conheça nosso Curso de Controladoria Estratégica Aplicada e também o Curso de Gestão Estratégica da Tesouraria, eles certamente farão diferença na sua carreira.

Sobre o autor

Carolina Ferreira Aleixo

Deixar comentário.

Share This