Custeio ABC: entenda como funciona o custeio baseado em atividades
Gestão Financeira

Custeio ABC: entenda como funciona o custeio baseado em atividades

custeio-ABC
Escrito por BCN Treinamentos

Em artigo anterior aqui do blog, já falamos sobre os principais critérios e métodos de custeio e hoje, vamos falar especificamente sobre o método de custeio ABC.  

Em qualquer empresa, independentemente do seu tamanho, os gestores financeiros precisam ter uma visão clara de todos os custos pois eles afetam diretamente a lucratividade do negócio. À primeira vista, isso pode parecer um grande desafio, porém é perfeitamente possível utilizando-se os métodos de custeio. Por meio deles os profissionais da área financeira conseguem fazer a gestão do custo unitário do produto, o que é fundamental para a definição dos preços e para o cálculo de rentabilidade do portfólio. 

Mas vamos agora ao que interessa, o método de custeio ABC: o que é, como implementá-lo e suas vantagens e desvantagens. Acompanhe!

O que é o custeio ABC – Activity Based Cost

O método de custeio ABC (Activity Based Cost – ABC), também conhecido como custeio por atividades, parte do princípio de que cada uma das atividades realizadas na empresa gera custos específicos. Segundo Padoveze “atividade pode ser definido como o menor segmento de responsabilidade, dentro da empresa, que gera um produto ou um serviço e consome recursos para a execução da atividade necessária à geração desses produtos ou serviços”.

Por meio dele, é possível determinar com precisão todas as  despesas e os custos indiretos (aqueles que não estão diretamente ligados ao produto ou serviço), bem como o impacto de cada atividade.

Você pode gostar também:  Gastos, custos e despesas é tudo a mesma coisa?

O método de custeio ABC rastreia os custos de cada uma das atividades realizadas e verifica como essas atividades estão relacionadas para a geração de receitas e o consumo de recursos. Ele estuda cada fase do processo de criação de determinado produto com o objetivo de encontrar e identificar os verdadeiros causadores de custos.

Os direcionadores de custos

Os direcionadores de custos, também conhecidos como “cost drivers”, são essenciais para a correta utilização do método ABC e devem ser escolhidos de acordo com cada atividade analisada. 

Eles podem ser definidos como elementos que determinam o custo de uma atividade. Toda atividade precisa de recursos para ser executada, assim o direcionador de custos representa a verdadeira causa de seus custos. Por exemplo, numa fábrica que tenha uma manutenção geral, o direcionador de custos, para a divisão do custo total da manutenção, pode ser o número de ordens de serviço abertas por centro de custo .

Existem dois tipos de direcionadores de custos:

  1. Direcionadores de custos de recursos (direcionadores de custos de primeiro estágio): demonstram como as atividades consomem recursos e servem para custear as atividades. Evidenciam a relação existente entre os recursos consumidos e as atividades. 
  2. Direcionadores de custos de atividades (direcionadores de custos de segundo estágio): indicam o modo como os produtos “consomem” atividades e servem para custear produtos. Em outros termos, eles indicam a relação entre as atividades e os produtos.

No momento de escolher os direcionadores de custo deve-se observar o seguinte:

  • A facilidade de coletar e processar os dados relativos aos direcionadores de custos;
  • A exatidão dos dados coletados;
  • A ocorrência de eventuais variações provocadas por efeitos comportamentais.

No mais, como já se pode imaginar, o método de custeio ABC possui relação com o Orçamento por Atividades – ABB (Activity-Based Budgeting), assunto que já foi abordado aqui no blog. Conhecidos os direcionadores de recursos e de atividades determinadas na aplicação do ABC é possível quantificá-los e projetá-los em função do aumento das vendas e estratégias empresariais, envolvendo custos e desempenho.

Como implementar o custeio ABC na sua empresa

A implementação do custeio ABC requer uma cuidadosa análise do sistema de controle interno da empresa e do fluxo dos processos, do contrário torna-se inviável a sua aplicação de forma eficaz. 

O ABC, por ser também um sistema de gestão de custos, pode ser implantado com maior ou menor grau de detalhamento, tudo vai depender das necessidades de cada gestor e do ramo de atividade e porte da empresa. 

Defina em qual área, departamento ou processo será feita a aplicação da metodologia em sua empresa e siga os passos abaixo para implementá-lo: 

  1. Identifique as atividades da área a ser analisada.
  2. Defina os direcionadores de custos para cada atividade e calcule o custo por atividade.
  3. Identifique o produto ou serviço que consumiram cada atividade.
  4. Determine o custo do processo para cada produto ou serviço. 

Vantagens e desvantagens da aplicação do custeio ABC

Entre as vantagens do método de custeio ABC podemos citar:

  • Fornece aos gestores informações mais fidedignas; 
  • Reduz a necessidade de rateios arbitrários; 
  • Obriga a implantação, permanência e revisão de controles internos; 
  • Torna mais fácil a visualização dos fluxos dos processos; 
  • Identifica onde estão sendo consumidos mais recursos;  
  • Identifica o custo de cada atividade em relação aos custos totais da empresa; 
  • Pode ser usado em diversos tipos de empresas, como indústrias, comércios, prestadoras de serviços, órgãos governamentais, e até mesmo organizações sem fins lucrativos; 
  • Pode ser usado como um sistema paralelo e complementar ao sistema de contabilidade; 
  • Torna possível eliminar ou reduzir as atividades que não agregam qualquer valor ao produto. 

Por outro lado, podemos citar como desvantagens: 

  • Gastos elevados para implantação; 
  • Alto nível de controles internos a serem implantados e avaliados; 
  • Necessidade de revisão constante; 
  • Leva em consideração muitos dados; 
  • Informações de difícil extração; 
  • Dificuldade de envolvimento e comprometimento dos empregados da empresa;  
  • Necessidade de reorganização da empresa antes de sua implantação;
  • Falta de pessoal competente, qualificado e experiente para implantação e acompanhamento; 
  • Necessidade de formulação de procedimentos padrões; 
  • Maior preocupação em gerar informações estratégicas do que em usá-las;

Não é aceito pela legislação societária e fiscal e por isso, deve ser usado apenas para a gestão e o controle interno da empresa

Conclusão

O método de custeio ABC é o mais complexo dos métodos de custeio, até porque se trata de uma evolução dos demais, tendo sido criado para suprir as necessidades das empresas por informações mais detalhadas. Mas todo o trabalho vale a pena e por isso ele é tão utilizado por empresas de serviços, cuja definição de custos, gastos e despesas é mais difícil, e também por outras empresas de diversos segmentos e portes, como indústrias e estabelecimentos comerciais. 

Gostou e quer aprender mais sobre métodos de custeio? Conheça nosso curso de Gestão Integrada de Custos e Orçamento que tem como objetivo apresentar os conceitos fundamentais para desenvolver um plano orçamentário, as responsabilidades e os modelos mais adequados para a condução do seu processo de estruturação, elaboração e controle.

Sobre o autor

BCN Treinamentos

Deixar comentário.

Share This