6 Indicadores de RH que você precisa conhecer 
RH

6 Indicadores de RH que você precisa conhecer 

Indicadores-de-RH
Escrito por BCN Treinamentos

Hoje, se uma empresa quer permanecer competitiva e crescer, ela deve implementar em todas as suas áreas uma cultura de tomada de decisões baseada em dados. Essa é a melhor maneira de encurtar o caminho para o consenso e para ações mais assertivas.

No RH, particularmente, a criação de indicadores pavimenta o caminho para a adoção do People Analytics por meio de um amplo e objetivo posicionamento do panorama das políticas de gestão, do reconhecimento do Capital Humano e da Cultura Corporativa.

Mas é aí que surge uma dúvida muito comum entre os gestores: com quais indicadores de RH a minha empresa deve trabalhar? Pois bem, foi pensando em responder essa questão que elaboramos este texto com alguns dos principais indicadores de RH. Acompanhe e veja quais deles vale a pena usar na sua empresa.

Boa leitura!

O que são os indicadores de RH

Os indicadores de RH, também conhecidos como indicadores de desempenho ou Key Performance Indicators (KPIs), nada mais são que métricas usadas para ajudar a medir a contribuição da área de Recursos Humanos para o restante da empresa durante um determinado período de tempo.

Quando claramente formulados, os indicadores de RH podem determinar se você está no caminho certo para alcançar os objetivos que definiu para a sua empresa e para a área de RH, especificamente. Além disso, a criação de indicadores de RH é uma maneira de comparar sua empresa a outras empresas Benchmark num requisito específico.

Esse, por si só, já é um ótimo motivo para implementá-los. Mas, além disso, eles ajudam a traçar um panorama geral sobre as ações e os resultados das ações realizadas pelo RH ao longo do tempo e com isso, se torna possível identificar os pontos que mais precisam de atenção e mudanças. 

Dito isso, vejamos quais são os indicadores de RH que você precisa conhecer.

6 Indicadores de RH

1.Turnover ou rotatividade

Uma das principais metas de qualquer empresa deve ser ter o menor índice de rotatividade possível, uma vez que isso interfere diretamente na estabilidade do negócio. 

Uma equipe que está a mais tempo na empresa fortalece o ambiente de trabalho e cria condições para que as metas de longo prazo sejam mais facilmente alcançadas. Sem falar, é claro, dos custos que envolvem o desligamento de funcionários, bem como a contratação e treinamento de novos colaboradores.

Por meio do turnover é possível monitorar quanto tempo, em média, os funcionários permanecem empregados, já que ele é calculado observando-se o número de funcionários contratados pela empresa em comparação com o número que permaneceu na empresa no mesmo período.

Se esse índice for alto, pode ser aconselhável prestar mais atenção no processo de seleção e integração ou examinar mais de perto a remuneração e os benefícios oferecidos. 

2. Absenteísmo

O índice de absenteísmo é medido através do controle de ausências dos colaboradores no trabalho, e é um indicador muito importante pois as faltas impactam diretamente a produtividade da área e os resultados da empresa. 

Altos níveis de absenteísmo são um grande problema para as empresas, e é necessário descobrir se as ausências ocorrem por motivos de saúde ocupacional, desmotivação, problemas na equipe, entre outros. Por isso controlar os motivos das ausências é tão importante.

O cálculo desse indicador é simples, basta dividir o número de horas perdidas de todos os trabalhadores divididas pelo número total de horas trabalhadas de todos os trabalhadores. Esse cálculo pode ser global da empresa ou por área específica da empresa.

3. ROI em treinamentos

O retorno sobre o investimento (ROI) em treinamentos nada mais é do que um indicador que mensura o investimento da empresa no treinamento dos profissionais para que eles exerçam melhor suas atividades.

 Para calcular esse indicador é necessário conhecer os ganhos que a empresa teve com o treinamento e depois medi-los financeiramente. Os ganhos de um treinamento podem ser vários, como por exemplo: aumento na produtividade, diminuição de falhas no processo, diminuição de ações judiciais, entre outros. O cálculo é feito subtraindo o retorno obtido do investimento realizado e dividindo pelo investimento realizado.

4. Satisfação

Os níveis de satisfação dos funcionários também é um indicador que vale a pena conhecer. Ele irá determinar o quanto a sua equipe é leal ao negócio, o que interfere diretamente na estabilidade e no sucesso geral da empresa. 

Para medir a satisfação dos profissionais, use o eNPS (Employee Net Promoter Score), que revela a probabilidade de um determinado funcionário recomendar seu empregador a outra pessoa. Ele usa uma escala de 0 a 10 e o resultado é expresso por meio de uma porcentagem com base nas pontuações dadas por aqueles que recomendariam sua organização menos aqueles que não recomendariam. 

Dessa forma, você consegue saber o nível de motivação dos seus funcionários e pode procurar maneiras de melhorar o ambiente de trabalho.

5. Qualidade das Contratações

Uma das tarefas mais estressantes em qualquer empresa é a contratação de novos funcionários. Sempre existe uma pressão para que esse processo seja feito no menor tempo possível. Além do mais se espera que o novo colaborador resolva todos os problemas.

A medição de uma contratação só é feita após alguns meses de trabalho, onde se mede se o novo colaborador consegue alcançar a performance esperada num determinado tempo. Uma segunda medição é garantir que se o funcionário alcançou os resultados de performance esperados, que ele fique pelo menos dois anos na empresa. Pois assim, o investimento com a contratação está pago e garante que o colaborador teve um fit com a cultura da empresa.

6. Índice de reclamações trabalhistas

As reclamações trabalhistas sempre geram gastos nas empresas, e é algo que é facilmente medido pelo valor dispendido. Além, do valor que é pago ao ex-empregado, existem os custos judiciais e de advogados.

Uma quantidade muito alta de reclamações trabalhistas pode indicar que não existe um trabalho consistente de compliance trabalhista na empresa. Esse é um indicador que pode ser melhorado através de um trabalho preventivo e conjunto entre as áreas de Recursos Humanos e Jurídico.

Outra forma de medir esse indicador é de % de processos trabalhistas em relação do número de pessoas que saíram da empresa num determinado período

 Conclusão

Esses são só alguns dos vários indicadores de RH que podem ser utilizados na sua empresa. Eles, se bem formulados e analisados corretamente, tornam o trabalho do gestor de RH muito mais fácil.

E para trabalhar com métricas e indicadores de RH é necessário ter um plano bem estruturado, escolher as métricas que vão ser medidas e entender se existe alguma relação de dependência entre elas. Por isso, é tão importante que se estabeleça um objetivo claro na hora de escolher esses indicadores, do contrário, não será possível aproveitar todas as informações fornecidas por eles.  

Ficou curioso e quer saber mais sobre o assunto? Conheça nosso curso Indicadores para RH: transforme cultura e direcionadores em informação objetiva.

No curso são apresentados os direcionadores e exercitada a criação de indicadores com contexto em subsistemas de RH, como seleção, performance, treinamento, desenvolvimento, diversidade e engajamento. São também abordadas questões relacionadas à interpretação e processo de tomada de decisões analiticamente embasada, desafios com a origem dos dados e gestão, objetivos e melhoria contínua de dashboards.

Sobre o autor

BCN Treinamentos

Deixar comentário.

Share This