Orçamento Base Zero e Orçamento Matricial: Duas metodologias complementares
Gestão Financeira

Orçamento Base Zero e Orçamento Matricial: Duas metodologias complementares

orcamento.base.zero.orcamento.matricial
Escrito por BCN Treinamentos

A dinâmica rotina empresarial faz com que seja constante a necessidade de adaptação de tarefas, de modo que se obtenha a maior eficiência possível e o crescimento do negócio. Isso, exige dos gestores um esforço permanente em busca da melhor performance. Então, depois de aprendermos um pouco mais sobre o  chamado Orçamento Base Zero e sobre o Orçamento Matricial, é hora de vermos como essas duas metodologias podem e devem trabalhar juntas, de forma complementar, para o bem da organização.

Assim, se você atua como gestor financeiro, não deixe de conferir este artigo e aprender mais sobre o assunto. Boa leitura!

O Orçamento Base Zero

O orçamento base zero é uma metodologia diferente da tradicional. Ele permite que os gestores financeiros tenham condições de organizar e controlar melhor os gastos que a empresa tem, eliminando a ocorrência de folgas no orçamento (as chamadas “gorduras”) e criando condições para que o gestor tenha elementos mais concretos para avaliação das suas solicitações para um período posterior.

O orçamento base zero parte de dois argumentos básicos: o primeiro é que um orçamento deve simular um cenário de sobrevivência da empresa, mesmo que seja ruim (lembre que é um exercício); o segundo é que o total de gastos fixos devem estar próximos da margem de contribuição desejada da empresa considerando o pior cenário possível (redução das vendas em 50% por exemplo).

Com a sua utilização, a empresa tem um plano financeiro estratégico que será utilizado como estimativa de entradas e saídas ao longo de um determinado período de tempo. Podemos citar ainda como algumas das  vantagens de sua utilização:

  • Possibilidade de um monitoramento de gastos mais próximo da realidade;
  • Eliminação de desperdícios;
  • Condições de avaliação dos fornecedores e de suas programações de entrega;
  • Identificação da verdadeira necessidade de determinados recursos financeiros;
  • Percepção mais clara a respeito das possíveis ameaças ao negócio;
  • Possibilidade de adaptação a possíveis mudanças de mercado e que estão atreladas às questões externas, etc.

Por sua vez, podemos destacar como desvantagens do orçamento base zero, a complexidade, o custo e demora para a sua implantação e a exigência de que uma equipe de apoio mais experiente ao processo orçamentária; entretanto temos visto que o resultado financeiro supera as expectativas e tem surpreendido positivamente.

O Orçamento Matricial

O Orçamento Matricial, também conhecido como gerenciamento matricial de despesas (GMD), é uma das formas de elaborar e acompanhar um planejamento orçamentário. Ele funciona como instrumento no processo de alocação de recursos durante a elaboração do orçamento e ainda consegue apontar erros na fase do controle orçamentário.

O Orçamento Matricial é uma maneira muito prática de analisar e gerir as despesas e as receitas não por centros de custos, mas pela visão cruzada de entidades e pacotes.

Entre as suas principais vantagens, podemos citar:

  • Conhecimento mais detalhado dos gastos e consequentemente utilização mais inteligente dos recursos;
  • Compartilhamento da responsabilidade pelo controle dos gastos;
  • Comparação de despesas e receitas similares de áreas diferentes possibilitando uma melhor avaliação do desempenho de cada uma delas;
  • Estabelecimento de metas justas e desafiadoras;
  • Dois gestores diferentes olhando cada despesa com metas distintas de redução;
  • Criação de uma base histórica de dados, o que melhora a qualidade das informações na hora da tomada de decisão; entre outras.

Por sua vez, como desvantagens do Orçamento Matricial podemos apontar o complexo processo de levantamento das métricas e de adaptação cultural da empresa ao modelo orçamentário; o fato de que a construção do orçamento pode ser muito lento, gerando  atrasos em projetos prioritários das empresas, entre outras.

Conheça nosso curso de Orçamento Base Zero (OBZ)

Curso Orçamento Base Zero (OBZ) –Reduzindo Custos de uma Forma Inteligente

Orçamento Base Zero e Orçamento Matricial: metodologias complementares

Para que uma organização tenha maior agilidade, precisão e qualidade em todos os seus  processos, é essencial possuir um bom planejamento orçamentário para o melhor gerenciamento dos processos, sejam eles internos ou externos.

O orçamento base zero permite analisar a relação custo-benefício dos processos e atividades empresariais, considerando que a análise parte do nível inicial (nível zero). Seu foco são as metas empresariais, estimando produção e vendas e procurando fazer com que se perceba de forma clara onde e com o que a empresa está gastando.

Dessa forma, é possível  fazer uma economia considerável de recursos e também uma redução de desperdícios e ineficiências decorrentes de erros contumazes dentro da empresa, projetando-se um crescimento sustentável econômico e financeiro. Inicia-se o orçamento base zero com a criação de pacotes de gastos a serem minimizados por parte dos setores selecionados a participarem do processo.

O Orçamento Matricial, quando utilizado em conjunto com o Orçamento Base Zero, potencializa o maior controle orçamentário, com mais eficácia e eficiência na organização. Afinal, o que o diferencia de outros orçamentos é que ele permite um melhor controle dos gastos que se dá pelo busca constante da melhoria de processos e melhor gestão dos custos fixos da empresa. No mais, com essa metodologia é constante a busca pela eliminação de custos e processos desnecessários que possam comprometer as metas empresariais.

Trata-se de um modelo que ajuda na melhor elaboração e acompanhamento do orçamento através do ciclo PDCA, que é o ciclo de desenvolvimento com foco na melhoria contínua. Ele começa pelo planejamento, em seguida a ação ou conjunto de ações planejadas são executadas, checa-se se o que foi feito estava de acordo com o planejado, constantemente e repetidamente, e toma-se uma ação para eliminar ou ao menos mitigar defeitos no produto ou na execução.

Tanto o Orçamento Base Zero como Orçamento Matricial tem como objetivos controlar e reduzir despesas em um determinado período de tempo. No Orçamento Matricial usa-se GMD (gerenciamento matricial de despesas), que faz com que cada área da empresa seja avaliada conforme seu desempenho em metas a serem aplicadas de forma a envolverem os participantes. Por sua vez, o GMD está  baseado em três princípios de controle cruzado:

  • Duas pessoas da organização analisam todas as despesas;
  • Desdobramento dos gastos: tudo tem de estar minuciosamente detalhado para então ser feita a análise e a definição das metas a serem alcançadas;
  • Acompanhamento sistêmico: após a aplicação do ciclo PDCA verificar-se-á as ações corretivas. A mudança das tomadas decisórias que serão efetuadas sobre a melhoria de qualidade desejada, mudando dessa forma a gestão e recursos a serem implantados.

Assim, por meio do modelo de Orçamento Base Zero, utilizado juntamente com o Orçamento Matricial tem-se a implantação do PDCA em dois tópicos: no acompanhamento, eliminando-se gastos desnecessários ou desalinhados com a estratégia, e também no planejamento.

Se você quer ser sempre o primeiro a receber nossos novos artigos, assine nossa Newsletter e fique sempre bem informado.

Powered by Rock Convert

Sobre o autor

BCN Treinamentos

1 comentário

  • Orçamento Base Zero e Orçamento Matricial: duas metodologias complementares – Tânia Tiburzio disse:

    […] Saiba mais […]

Deixar comentário.

Share This