5 novidades do mercado para o setor financeiro
Gestão Financeira

5 novidades do mercado para o setor financeiro

Escrito por BCN Treinamentos

O setor financeiro vem passando por mudanças constantes. Isso ocorre principalmente por dois motivos que se influenciam mutuamente: a rápida evolução tecnológica, que oferece novos recursos para a criação de serviços, e clientes cada vez mais exigentes.

As alterações são causadas por inovações que propiciam o surgimento de novidades que visam tornar as transações financeiras mais fáceis, rápidas e seguras. Dessa forma, as opções oferecidas pelo mercado aumentam e o consumidor consegue adquirir produtos e serviços cada vez mais alinhados às suas necessidades.

Neste artigo, vamos apresentar cinco tendências do mercado que vão ter impacto progressivo no setor financeiro, alterando as atividades econômicas. Confira!

1. Everything as a service

A evolução tecnológica das últimas décadas criou um movimento que fez com que o consumidor passasse a comandar os rumos da indústria. Se antes as organizações determinavam quais seriam as direções seguidas pelo mercado, agora quem faz isso são os clientes.

Essa alteração nas relações entre empresas e consumidores criou uma tendência, o everything as a service. Ela consiste na transformação de produtos em serviços personalizáveis, nos quais o cliente contrata exatamente o que precisa pelo tempo que quiser.

Essa forma de consumo começou no setor de tecnologia, mas rapidamente vem tomando conta de todas as áreas, incluindo a financeira. Nela, é cada vez mais comum encontrar empresas que oferecem pacotes de serviços totalmente personalizáveis, visando suprir as necessidades e desejos dos usuários.

Essa oferta de individualização traz diversas consequências, entre elas, a necessidade das organizações desenvolverem produtos cada vez mais específicos para fidelizar os clientes e se manterem competitivas.

2. Modelos disruptivos de negócios

Modelos disruptivos de negócios são baseados em inovações disruptivas. Esse tipo de inovação se caracteriza por invenções de soluções de valor agregado que criam rupturas com os padrões estabelecidos no mercado. Elas atuam em espaços não explorados, suprindo carências até então ignoradas pela indústria.

As inovações disruptivas não são novidades, exemplos disso são o automóvel e a Internet, mas com a rápida evolução da tecnologia elas se tornaram mais frequentes, gerando novos modelos de negócios. Alguns exemplos recentes são Uber, Airbnb, WhatsApp, Snapchat e Bitcoin.

Esses modelos de negócio influenciam de forma decisiva o setor financeiro, pois exigem e criam formas de interação. Isso faz, por exemplo, com que os bancos ofereçam serviços especializados que trabalhem em conjunto uns com os outros.

Alguns exemplos de alterações que os modelos disruptivos de negócios causaram no setor financeiro são:

  • equity crowdfunding: plataformas especializadas conectam investidores a projetos inovadores, permitindo que o financiamento seja feito de forma compartilhada e direta;

  • empréstimos peer-to-peer: por meio de plataformas, quem tem o dinheiro pode emprestá-lo diretamente a quem está procurando um empréstimo, sem a intermediação de um banco;

  • descentralização: moedas virtuais, como o Bitcoin, e plataformas estão oferecendo novas formas de fazer transações financeiras, descentralizando o mercado e desafiando o sistema bancário atual.

3. Machine intelligence

A inteligência artificial permite que máquinas sejam capazes de realizar tarefas de forma mais rápida e segura que seres humanos. Isso vem revolucionando todas as áreas da indústria, e não é diferente com o setor financeiro.

A perspectiva é que isso se intensifique ainda mais nos próximos anos com o desenvolvimento de equipamentos que vão realizar tarefas cada vez mais complexas, automatizando processos e transformando continuamente as relações no mercado.

Algumas consequências da machine intelligence para o mercado financeiro são:

  • aumento da produtividade e redução de custos: agiliza as operações financeiras e as torna mais precisas, reduzindo os custos dos processos;

  • auxílio no controle financeiro: a inteligência artificial permite que máquinas forneçam conselhos financeiros personalizados, que consideram o comportamento de consumo de cada indivíduo;

  • aumento da segurança: as máquinas inteligentes já têm grande capacidade de analisar dados e detectar padrões, e a tendência é que elas sejam aprimoradas, auxiliando na descoberta de fraudes financeiras;

  • eficiência no gerenciamento de riscos: as redes neurais mostram excelentes resultados na análise de riscos, ajudando nas decisões financeiras das empresas.

4. Descentralização do mercado financeiro

Todas as tendências citadas, everything as a service, modelos disruptivos de negócio e machine intelligence, e outras inovações tecnológicas estão gerando uma descentralização do mercado financeiro, que, de forma geral, sempre esteve nas mãos dos bancos.

Serviços que sempre tiveram seus padrões muito bem definidos e eram oferecidos apenas por algumas organizações, passaram a ser realizados de forma direta entre os consumidores ou com o auxílio de novos modelos de intermediação.

Por exemplo, o dinheiro ganhou versões digitais, os investimentos passaram a ser realizados em ambientes virtuais e os empréstimos a serem feitos sem intermediários em plataformas online.

Tudo isso fez com que os rumos do setor financeiro se alterassem e as instituições que historicamente adotaram formas padronizadas de operação precisassem flexibilizar seus serviços, atualizar seus produtos e disputar um mercado que antes era dominado por elas.

Todas essas mudanças fazem com que os clientes ganhem destaque nas decisões, tanto nas empresas tradicionais, quanto nas modernas. O resultado são serviços customizados, diminuição da burocracia, transações com alta segurança e consumidores satisfeitos.

5. Dark analytics

Sistemas de transação, motores de busca, redes sociais e várias outras tecnologias produzem um volume gigantesco de dados brutos que tem grande poder na geração de ideias estratégicas, agregação de valores a produtos e serviços e conhecimento sobre os clientes.

Por meio de inovações tecnológicas em áreas como o aprendizado de máquinas, o processamento de linguagem neural e as análises cognitivas, esses dados podem ser obtidos, avaliados e confrontados.

A dark analytics é uma investigação profunda dos dados, permitindo que informações que normalmente não têm o seu valor identificado em uma análise comum sejam descobertas.

Essas informações, sozinhas ou associadas, podem ser grandes trunfos para as organizações financeiras. Elas ajudam nas tomadas de decisão, na verificação de riscos e a entender os rumos do mercado.

Além disso, geram insights e inovações, permitindo que os serviços no setor financeiro se desenvolvam e estejam cada vez mais alinhados com as expectativas e necessidades dos consumidores.

Essas novidades vão ter cada vez mais impacto no setor financeiro, alterando de maneira decisiva a forma com que as empresas planejam ações e realizam transações. Ademais, a tendência é que outras inovações surjam, fazendo com que a área sofra mudanças constantes. Por isso, é essencial buscar novas informações e se manter atualizado.

Gostou de conhecer as novidades do mercado para o setor financeiro? Compartilhe este artigo nas suas redes sociais para que os seus colegas também fiquem informados!

Sobre o autor

BCN Treinamentos

Deixar comentário.

Share This